sábado, 4 de abril de 2015

ERA UMA VEZ UM CERTO GALILEU QUE RESSUSCITOU!



Olá Pessoal!


Hoje também é um dia especial. A festa mais importante da Igreja Cristã, pois CRISTO RESSUSCITOU. É claro que não sabemos a data exata da morte e ressurreição de Cristo, mas sabemos que a festa de Páscoa foi estabelecida por um decreto no Concílio de Niceia em 325 d.C. sendo celebrada no domingo após a primeira lua cheia do equinócio vernal, que ocorre no início da primavera no Hemisfério Norte. A primavera entrando e o inverno saindo (Vida vencendo a morte). Para nós do hemisfério sul, essa simbologia de ser no inicio da primavera não faz muito sentido já que estamos exatamente no início do outono e na saída do verão. Mas como estamos em comunhão com a Igreja Romana e fomos colonizados pela cultura europeia, comemoramos universalmente sempre entre os dias 22 de março e 25 de abril, variando o dia a cada ano. Não me entendam mal, não tenho nada contra a tradição. Eu apenas quis trazer umas curiosidades em torno desta data e fazer uma reflexão.Vamos continuar...

Para os judeus, a Páscoa (PESSACH) é uma antiga festa para celebrar a libertação do povo Hebreu do cativeiro egípcio. Em suas celebrações, faziam uma ceia onde comiam um pão que lembrava a saída dos hebreus às pressas do Egito e levando pães da maneira que estavam.  A mesma ceia feita por Jesus e seus discípulos, conhecida por nós como a Santa Ceia. Jesus vem reforçar essa libertação: 

“Jesus então, cheio da força do Espírito, voltou para a Galileia. E sua fama divulgou-se por toda a região. Ele ensinava nas sinagogas e era aclamado por todos. Dirigiu-se a Nazaré, onde se havia criado. Entrou na sinagoga em dia de sábado, segundo seu costume, e levantou-se para ler. Foi-lhe dado o livro do Profeta Isaías. Desenrolando o livro, escolheu a passagem onde estava escrito: O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu; e enviou-me para anunciar a boa nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos presos e aos cegos a recuperação da vista; para libertar os oprimidos, e para proclamar um ano da graça do Senhor.”
 Lucas 4, 14 -19       

 Mas afinal quem era esse "Tal Jesus"? O que ele fez que que dois mil anos depois ainda lembramos de sua história? Não pretendo fazer desta postagem uma catequese, mas lembrar um pouquinho de sua história.


“Jesus agia com a autoridade e a convicção de alguém enviado do Pai para libertar a criação ferida pelas injustiças e opressão. Mostrava um poder que aplacava tempestades, curava doentes, ressuscitava mortos e enchia de esperança todo o povo. Algo realmente revolucionário iria acontecer: a irrupção do Reino que é de Deus, mas também dos humanos por seu engajamento.”
“Nas duas frente criou um conflito que o levou à cruz. Portanto, não morreu na cama cercado de discípulos.  Mas executado na cruz, em consequência de sua mensagem e de sua prática. Tudo indicava que sua utopia fora frustrada. Mas eis que aconteceu um evento inaudito: a grama não cresceu sobre sua sepultura. Mulheres anunciaram aos apóstolos que ele havia ressuscitado. A ressurreição não deve ser identificada com a reanimação de seu cadáver, como o de Lázaro. Mas como a irrupção do ser novo, não mais sujeito ao espaço-tempo e à entropia natural da vida. Por isso atravessava paredes, aparecia e desaparecia. Sua utopia do Reino, como transfiguração de todas as coisas, não podendo realizar-se globalmente, se concretizou em sua pessoa mediante a ressurreição. É o Reino de Deus concretizado nele.”
Leonardo Boff (teólogo, filósofo e escritor)

Não comemoramos a morte e sim a Vida que vence a morte, o maior bem que nos foi dado e defendido por ele na cruz. Durante a Páscoa Cristã lembramos do maior Mártir de todos, Jesus! Mas também vale lembrar que Jesus também foi um jovem que perdeu sua vida como muitos lá fora estão perdendo para essa sociedade cada vez mais excludente e individualista. Foi um jovem que tinha uma mãe que assistiu seu sofrimento e sentiu as dores de perder um filho. Que essa postagem seja também uma simples prece por todas as Marias que perderam o seu Jesus.

Trago uma música de um compositor que particularmente sou fã. Há 45 anos é um dos autores católicos mais lidos e cantados do Brasil e do mundo: Padre Zezinho. Originalmente, a música que narra brevemente a história do “Moreno de Nazaré” possuía 4 estrofes, mas a pedidos ele fez mais uma. Confira no vídeo abaixo.

Um certo Galileu

Padre Zezinho

 

 

 





 
Tom: C
              
         C           G
Um certo dia à beira-mar
                      C
Apareceu um jovem galileu
                   G
Ninguém podia imaginar
Que alguém pudesse amar
                  C
Do jeito que ele amava
                           G
Seu jeito simples de conversar
Tocava o coração
              C
De quem o escutava

Refrão:
                            Dm
E seu nome era Jesus de Nazaré
    G7                       C F    Em   G7
Sua fama se espalhou e todos vinham ver
    C                    Dm/F
O fenômeno do jovem pregador
          C/E   G   C
Que tinha tanto a...mor.
                         G
Naquelas praias, naquele mar
                          C
Naquele rio, em casa de Zaqueu
                         G
Naquela estrada, naquele sol
E o povo a escutar
                C
Histórias tão bonitas
                            G
Seu jeito amigo de se expressar
Enchia o coração
               C
De paz tão infinita

E seu nome era Jesus de Nazaré
    G7                       C F    Em   G7
Sua fama se espalhou e todos vinham ver
    C                    Dm/F
O fenômeno do jovem pregador
          C/E   G   C
Que tinha tanto a...mor.

Refrão
                      G
Em plena rua, naquele chão
                            C
Naquele poço e em casa do Simão
                         G
Naquela relva, no entardecer

O mundo viu nascer
                 C
A paz de uma esperança
                       G
Seu jeito puro de perdoar

Fazia o coração
                C
Voltar a ser criança

E seu nome era Jesus de Nazaré
    G7                       C F    Em   G7
Sua fama se espalhou e todos vinham ver
    C                    Dm/F
O fenômeno do jovem pregador
          C/E   G   C
Que tinha tanto a...mor.

Refrão
G#  C#
                     G#
Um certo dia ao tribunal
                         C#
Alguém levou o jovem galileu
                         G#
Ninguém sabia qual foi o mal

E o crime que ele fez
                   C#
Quais foram seus pecados
                            G#
Seu jeito honesto de denunciar

Mexeu na posição
                   C#
De alguns privilegiados
                         D#m  G#
E mataram a Jesus de Nazaré
     D#m       G#            C#   F#  Fm
E no meio de ladrões puseram su...a   cruz
      C#                      D#m/F#
Mas o mundo ainda não ama este Jesus
          C#/F  G#  A      E   D   C#
Que tinha tanto a...mor...

     C#              G#
VITORIOSO! RESSUSCITOU!
                             C#
Após três dias à vida Ele voltou
                          G#
Ressuscitado, não morre mais
                                         C#
Está junto do Pai pois Ele é o Filho Eterno
                     G#
Mas Ele vive em cada lar
                                     C#
E onde se encontrar um coração fraterno
                            D#m
Proclamamos que Jesus de Nazaré
  G#            D#m    G#    C#       F# Fm
Glorioso e triunfante, Deus conosco está!
         C#                       D#m/F#
Ele é o Cristo e a razão da nossa fé
     C#   G#   A   E   D   C#
E um dia voltará!
 
 



                Espero que tenham gostado da música. E que a Páscoa possa realmente nos renovar. Que o sangue dos mártires assim como o de Jesus, ressuscite e faça a semente se espalhar na caminhada e na luta do povo por um mundo de Paz, Justiça e Fraternidade. Um grande Abraço Fraterno e até o próximo MUSICANDO...

0 comentários:

Postar um comentário